Origem do Nome Nogueira

Escudo_Nogueira

A origem do nome Nogueira é portuguesa.

O Nogueira é um nome Masculino. Mas não fica mal designar A Nogueira, não? Na nossa família nem todos são machos; em média, metade nasce mulheres e metade, homens… E convivemos muito bem!

Apesar do No guei, não somos homofóbicos!

O sobrenome português, classificado como sendo um toponímico, ou seja de origem geográfica, provem do nome da árvore da noz – no caso, seria A Nogueira.

Descende esta família de D. Mendo Paes Nogueira, sobrinho de D. Mendo Nogueira, cavaleiro da Ordem do Templo, em 1089. Seu solar é a Torre de Nogueira, na ribeira do rio Minho.

Um nome tipicamente pertencente à onomástica da língua portuguesa é composto por um ou dois prenomes (nome de batismo) e dois apelidos de família (sobrenomes). O último sobrenome é o paterno; e o primeiro é o materno.

Note que esta ordem é inversa ao dos sobrenomes dos países de língua espanhola. Por questão de costume, geralmente apenas o último sobrenome é utilizado em cumprimentos formais ou na indexação de artigos científicos, mas numa lista de nomes, o primeiro nome próprio, e não o sobrenome, é usado para a classificação em ordem alfabética.

Mulheres casadas podem acrescentar o sobrenome do marido no fim do seu próprio nome, ou até mesmo substituir o seu sobrenome pelo do marido, mas tal praxe não é obrigatória. O mesmo pode acontecer com os homens, embora isso seja extremamente raro. É comum haver pessoas com até quatro apelidos: dois de cada progenitor, querendo destacar sua origem aristocrática.

No Brasil, os imigrantes recentes – especialmente italianos, alemães e japoneses – geralmente nomeiam seus filhos apenas com o sobrenome do pai. Embora não haja nenhuma restrição legal para essa prática, o padrão de sucessivas gerações mudaram para o padrão tradicional português, normalmente por causa da assimilação.

Hoje é possível encontrar pessoas que utilizam dois sobrenomes italianos (como “Rossi Bianchini”) ou dois sobrenomes japoneses (como “Sugahara Uemura”), uma prática que não é comum na Itália e não existe no Japão. Ter dois sobrenomes de imigrantes não europeus também é comum, como a modelo Sabrina Sato Rahal (um sobrenome japonês e um árabe, respectivamente).

Um padrão específico desenvolvido entre os descendentes de imigrantes do século XX é que utilizam apenas o sobrenome paterno e dois nomes próprios: o primeiro é um nome Português e o segundo é o nome original do país do pai. Este padrão é mais utilizado entre os netos e filhos de imigrantes japoneses e sírio-libaneses.

Esse padrão tornou-se quase uma regra geral em São Paulo e em outros estados do sul. A miscigenação abrandou este uso, mas é comumente utilizado quando ambos os pais pertencem à mesma etnia. As gerações mais jovens tendem a utilizar tanto o nome de família paterno como o materno, dando aos filhos quatro nomes.

O costume de a mulher mudar de nome após o casamento não é uma tradição portuguesa e brasileira. Ela espalhou-se no fim do século XIX nas classes superiores, sob a influência francesa, e após a década de 40 tornou-se socialmente quase obrigatória. A não adoção da tradição era vista como prova de concubinato, em especial até a década de 1970. Hoje em dia, praticamente desapareceu.

Hoje em dia, poucas mulheres adotam, mesmo oficialmente, os sobrenomes do marido e, entre as que o fazem oficialmente, é bastante comum ela não utilizá-lo na sua vida profissional ou informal.

Em Portugal, desde 1977, e no Brasil, desde 1970, a mulher tem a opção de mudar ou não de nome após o casamento. Em Portugal, desde 1977, e no Brasil, desde 2002, o marido também pode adotar o sobrenome da esposa. Em Portugal, quando isso acontece, geralmente ambos os cônjuges mudam de nome após o casamento. No Brasil, ainda não há um padrão perceptível.

Este costume está desaparecendo desde os anos 1970. Hoje, é raramente encontrado, devido à necessidade pesada de atualizar registros, documentos, etc., depois que o nome muda e volta de novo em caso de divórcio.

Não existem leis para a nomenclatura, e como tal muitas grafias arcaicas e formas cognatas coexistem para um mesmo nome. Nomes de inspiração internacional são comuns e diacríticos também são omitidos às vezes. Os pais podem criar qualquer tipo de nome, e as classes econômicas mais baixas geralmente usam sufixos para dar um ar estrangeiro aos nomes dos descendentes, como “-son” ou “-ton” para os meninos e “-elly”/-“inny” para as meninas. Este fenômeno pode ser facilmente visto nos nomes de futebolistas brasileiros.

Um número considerável de sobrenomes é de origem toponímica, supostamente para descrever a origem geográfica de um indivíduo, como o nome de uma aldeia, vila, cidade, região ou rio. Encaixam-se nessa regra sobrenomes como Almeida, Andrada ou Andrade, Barcelos, Barros, Bastos, Castelo Branco, Cintra (de Sintra), Coimbra, Faria, Gouveia, Guimarães, Lima (nome de um rio, não a fruta), Lisboa, Pacheco (da vila de Pacheca), Porto, Portugal, Brasil, Serpa etc. Um sobrenome como Leão pode significar que um antepassado veio do antigo reino espanhol de León (noroeste de Espanha) ou então da cidade francesa de Lyon.

Nem todas as aldeias e vilas que originaram esses sobrenomes existem, mantiveram o nome original ou são habitadas hoje.

Alguns nomes especificam a localização da casa de uma família dentro de uma aldeia: Fonte (junto à fonte), Azenha (pela azenha, moinho d’água), Eira (pelo eira), Tanque (pela cisterna da comunidade), Fundo (parte mais baixa da vila), Cimo/Cima (na parte superior da cidade), Cabo (na extremidade da aldeia), Cabral (próximo ao campo onde as cabras pastam). Em alguns casos, o nome de família pode não ser toponímico, mas uma indicação de posse.

Alguns termos geológicos ou geográficos também foram utilizados na nomeação, como Pedroso (pedregoso ou cheios de terra), Rocha, Souza/Sousa (do latim saxa, um lugar com seixos, ou o nome de um rio português), Vale, Ribeiro (pequeno rio, córrego, riacho), Siqueira ou Sequeira (terra não irrigada), Castro (castelo ou ruínas de construções antigas), Dantas (de d’Antas, um local com antas, ou seja, monumentos de pedra pré-históricos ou dólmens), Costa (litoral), Pedreira, Barreira (pedreira de argila). Ferreira é um sobrenome toponímico, utilizado pela primeira vez por pessoas que viveram em muitas cidades e aldeias chamadas Ferreira, ou seja, um lugar onde era possível encontrar minério de ferro.

Nomes de árvores e plantações também são nomes toponímicos, supostos inicialmente para identificar um ancestral que viveu perto ou dentro de alguma fazenda, pomar ou um local com um tipo característico de vegetação. Sobrenomes como Silva (uma espécie de baga; também significando mata), Silveira (local coberto por silvas), Matos (bosques, florestas), Campos (campos de grama, pradarias), Teixeira (local coberto por teixos, uma espécie de árvore), Queirós (um tipo de erva), Cardoso (local coberto por cardos, ou seja, alcachofra-brava ou espinhos), Correia (local coberto por corriolas ou correas, um tipo de planta), Macedo (um jardim de macieiras) e Azevedo (uma floresta de azevinho, ou seja, madeira de azevinho) encaixam-se neste padrão.

Nomes de árvores são sobrenomes toponímicos bastante comuns: Oliveira, Carvalho, Salgueiro, Pinheiro, Pereira, Moreira (de amoreira), Macieira, Figueira. Estes nem sempre são sobrenomes judaico-portugueses antigos, conforme explicado em próximo post, embora esse mito seja muitas vezes transmitido.

Um órfão de pais desconhecidos ou um convertido (judeu, escravizado africano ou nativo americano) poderia ser batizado com o nome de um santo.

Anúncios

57 comentários a “Origem do Nome Nogueira

  1. sou nogueira por parte de mãe , e levo esse nome com muito orgulho e que Deus abençoe todos os nogueiras e todos que nos rodeiam !

    Cesar Alexandre Nogueira Nectoux

  2. Boa noite, gostaria de descobrir minha decendência, Sou Nogueira de Quixeramobim Ceará, porém, meu avó paterno era de Pernanbuco. Já sei que Nogueira, tem origem Portuguesa, meu avó paterno era Raimundo Nogueira de Sousa, minha avó materna era também uma Nogueira.

    • Meu esposo é da família Nogueira de Acopiara Ceará. É uma família muito conhecida e respeitada por lá. Eles possuiam um parente chamado Raimundo Nogueira. Quem sabe nãoeram parentes

  3. Sou Nogueira, meu pai chamava-se Nelson Nogueira, Meus Avós DElmira Pelegrina de Jesus e Joaquim Nogueira da Silva. Será que tenho algum parente que não conheço?

  4. Sou Nogueira Borges de Santana do Acaraú – CE. Nasci em Fortaleza – CE. Os parentes mais próximos migraram para o Rio de Janeiro. Tenho um arquivo sobre os Nogueiras. Vou procurar e mandarei por aqui. Abraços. Fábio Nogueira.

  5. Meu bisavó, Francisco Nogueira, veio da cidade do Porto, norte de Portugal, para Anchieta (ES), que então se chamava Vila de Benevente (depois passou a denominar-se Anchieta)… Os filhos dele se espalharam por todo o Espírito Santo, sendo que muitos foram para o Rio de Janeiro e Minas Gerais, ao passo que outros (dentre eles meu avô Otaviano Nogueira e seu irmão José Nogueira) foram para MATO GROSSO, onde lançaram raízes e se multiplicaram…

    • Ola Mauricio , Meu avo se chamava Donato , Tinha duas irmãs Olivia e Tereza. Todos moravam em Anchieta( Benevente) de origem portuguesa . Sendo que alguns foram para Mato Grosso. Nos estamos aqui no Espirito Santo e vc. onde esta. Talvez seja a mesma familia . Juçara Freitas Nogueira

  6. Minha familia por lado de Pai era Nogueira de
    Almeida Mais Casado minha avo e filhos Almeida Lima – Bananal , São Paulo.. The havia Na mm cidade Nogueira Cobra e sim havia o mito de serem Judeus convertidos

  7. Sou Cesar Nogueira de Ourinhos Sp.Pelo que sei de minha familia meus tataravos vieram de portugal escondidos em um navio q desembarcou em Santos. Eram 4 irmaos , meu tataravo mais seus 3 irmaos, que vieram para o interior de Sao Paulo e se separaram cada um p um canto do estado.Do meu tataravo so sei disto, mais meu bisavo teve 4 filhos… Paulo Nogueira, Nelson Nogueira Victorio Nogueira Albertina Nogueira. Meu avo teve sete filhos Paulo Cesar ,Andre Luis, Maria Clara ,Elizabete Alice, Ana Maria, Telma Cecilia e Cristiano..todos Nogueiras, criados na Fazenda Sao Francisco em Cambara ,norte do Parana, depois foram para um vilarejo chamado Marques dos Reis no municipio de Jacarezinho tambem no norte do Parana. Se alguem tiver sua historia parecida com esta relatada acima, entre em contato, pois sei q nossa familia é gigante e tem muitas pessoas que nao conhecemos ainda

  8. Somos Nogueiras do Estado de São Paulo : Meus avós Hilarião Francisco Nogueira e Ambrosina Cabral da Silva. Vieram do Sul da Bahia,arredores de Bom Jesus da Lapa. Para Valparaiso, Est. de S. Paulo em 1932. Seus descendentes, espalharam-se por S.Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso .

  9. Caro Fernando. Infelizmente não posso deixar de me manifestar. Preciso informar que a ilustração acima, a de um escudo com o N de Nogueira ao centro, foi por mim reproduzido originalmente por estar assentado sob re a platibanda da casa de meu bisavô Antonio Rodrigues Nogueira cujo pai, nascido na cidade do Porto veio para a Bahia nos idos de 1833, na praça central da cidade de Serrinha – Bahia, lugar que deu origem à família que pertenço. Nada contra seu uso por você ou quem quer que seja, desde que, manda a ética, seja dado o devido crédito de onde foi copiada.

      • Fernando, como disse, nada contra ter usado a imagem cuja arte foi desenvolvida por mim com base, como afirmei, no escudo que ainda se encontra sobre a casa que pertenceu a meu bisavô Antonio Rodrigues Nogueira em Serrinha/Bahia. Minha intervenção se deu apenas para que, já que uso nas redes sociais esse escudo e vários membros descendentes do meu ramo familiar participam, não haja confusão em nossas comunicações.

      • Tatiana, temos a mesma origem pois meu avô era irmão de seu bisavô, que nós conhecíamos também como Dota. Como Marcos Nogueira estou no fcbk. Se quiser mais alguma informação, já que levantei nossa genealogia, é sói me comunicar in-box do face.

  10. Ola a todos NOGUEIRA. .meu nome e Cristovao Vieira Nogueira ,south Portugues e gostaria de conhecer todos a queres de nome Nogueira

    • Olá sou Nogueira de Salvador mas meu pai é Nogueira nascido em Conceição de Jacuipê (Berimbau-Ba)o nome de meu avô é José Domingos Nogueira ,gostaria de entrar em contato com possível irmão ou parente do meu avô.

  11. Sou Amanda Nogueira dos Santos
    O pai da minha avó Iolanda de carvalho Borges Nogueira dos Santos era Português se não me engano ele morava na Vila das Candeias ..
    Meu email caso alguém saiba alguma coisa 😞 mandasantos317@gmail.com
    Sou de Minas Gerais

  12. Sou Nogue por parte de pai. Meu pai se chamava Napoleão da Silva Nogueira e o pai dele Antônio Nogueira Meu avô era do interior do estado do Rio de Janeiro , ali pelos lados de Barão de Ju para no , Barra do Pirai. Lembro que minha avó paterna contava que meu pai descendia do Barão de Nogueira. E que o Barão veio junto com a família Imperial para o Brasil.
    Gostaria de mais informações se fosse possível. Mais alguns dados , fotos de família e foto do brasão.
    Desde já agradeço imensamente algum esclarecimento que eu possa receber.

  13. Olá Nogueiras! Sou Eliane Nogueira, moro em Rondônia, mas meu falecido avô era Patrício Calixto Nogueira, sei que ele tinha irmãos no Estado de São Paulo, mas em algum momento da vida meu avô foi com a família para o Estado do Paraná, onde nasceu minha mãe e seus irmãos. Alguém conhece a família Calixto Nogueira?

  14. SOU NOGUEIRA POR PARTE DE MÃE. MINHA BISAVÓ ANA SILVÉRIA DA COSTA NOGUEIRA ERA DE MINAS, E ERA FILHA DE FLORIANA. DEPOIS DE CASADA SE TORNOU DONA DA FAZENDA LIMEIRA, PERTINHO DE RIBEIRÃO PRETO. SEUS FILHOS= IGNÁCIO, JOÃO, MESSIAS, LUIZ(LULU), SEBASTIÃO, MARIA (MINHA AVÓ), HIPÓLITA, EMOLINA E HIPONINA. MINHA AVÓ TINHA ALGUNS COSTUMES JUDAICOS. MEU NOME DE SOLTEIRA= M. LYGIA.NOGUEIRA DOS SANTOS RODELLA. DE CASADA=M. LYGIA R. VERSOLATO. AMEI LER SOBRE TODOS VOCÊS.DEUS NOS ABENÇOE EM NOME DE JESUS.SE ALGUEM TIVER ALGUMA INFORMAÇÃO,POR FAVOR ME AVISEM NO E MAIL=versolato.lygia@gmail.com

  15. sou nogueira tb muitas dessa isto ria meu avo quando vivo mi conto. sou Norberto marques nogueira e nome dele era Mauro Gonçalves nogueira

  16. Olá! Sou nogueira, meu pai é Jorge da Silva Nogueira, ele veio da cidade do conselho da maia cidade do porto em 1954 para o rio de janeiro, depois veio para curitiba PR, segundo oque ele me disse quando ainda era vivo que, a família decende dos judeus (cristão novos). Se alguém tiver mais informações favor mandar mais informações…

  17. procuro Amandia Nogueira do Carmo tem idade de aproximadamente 58 anos amiga de infacia, filha de Dna Rosa morou no estacio na rua sao martinho meu nome e valdemir rodrigues.cavalcanti, estou no face

  18. Ola sou João Carlos Nogueira, do Rio de Janeiro, filho de Affonso Nogueira, tendo como avos Antonio Nogueira e Amelia Rita Nogueira, fugidos de Tras-os-Montes, Bragança, Portugal por serem primos e instalados em Minas Gerais, depois Rio de Janeiro.Meus bisavos paternos Manoel Nogueira e Beatriz Nogueira, maternos Jose Fernandes e Anna Fernandes. Nao tenho nenhuma documentação deles, e preciso ter por onde começar para dar entrada na minha segunda nacionalidade. Agradeço a quem possa me ajudar.

  19. Também sou uma Nogueira. ..
    Meu pai era de Canavieiras (Ba) e nasceu em 03/12/ 1900. Seu nome era Francisco Xavier (nasceu no dia do santo)Nogueira. Não conhecemos nenhum parente por parte dele. Era filho caçula e saiu de Canavieiras aos 13 anos para servir à Marinha do Brasil. E sou Solange Nogueira, filha caçula dele. Quando nasci ele tinha 60 anos e era um homem alto e forte como o sobrenome NOGUEIRA! Todos nós somos só NOGUEIRA! Adoro meu sobrenome. .. Forte!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s